BRINQUEDOS E UMA LOGÍSTICA SEM BRINCADEIRAS

BRINQUEDOS E UMA LOGÍSTICA SEM BRINCADEIRAS

A logística por trás dos brinquedos. Esse é o tema abordado pelo colaborador Marcelo Nascimento em comemoração a chegada do Dia das Crianças.

Por acontecemais 07/10/2020 - Atualizado em 30/10/2020

Há alguns dias estava com a ideia quanto à matéria de logística que iria publicar essa semana, quando foi proposto um tema onde logo vi que seria um desafio escrever sobre o mesmo, principalmente na minha área.

O mundo é movido por desafios e quem não gosta de um que nos faça sair da zona de conforto? Fui pesquisar sobre o tema e observei logo no início, não haver muitas coisas a respeito, tornando-o mais interessante ao ponto de vista que escreveria sobre algo que poucos já fizeram, e ao mesmo tempo difícil, por ter que seguir a intuição durante o desenvolvimento da matéria.

Para quem ainda não conseguiu entender qual a proposta foi feita a mim, vou dar uma pista. No momento que me informaram eu brinquei que a principal logística que existe ligada ao tema é “mãe me traz um copo d’agua”.

Acredito agora que todos conseguiram adivinhar que se trata sobre escrever algo ligado ao tema do Dia das Crianças aqui no Brasil, que comemorado na próxima segunda-feira, dia 12 de outubro.

Como vou tratar de um assunto que não tem muito a ver com a criançada, pensei em um símbolo da data: os brinquedos. Isso, buscando abordar a logística até chegar nas crianças, apresentando também dados e informações sobre eles (os brinquedos) para os próximos anos.

Podemos afirmar que o serviço de logística dos brinquedos não dá margem para brincadeiras, devendo ser algo com total dedicação e responsabilidade. Afinal, se funcionar como precisa ser, o principal retorno é o sorriso mais gratificante que pode existir.

Quem não lembra daquela felicidade e satisfação quando recebíamos um presente e era o brinquedo que tanto queríamos? A indústria deste setor encara a logística da distribuição com a maior seriedade. Por isso exige rígido cumprimento dos prazos de entrega, qualidade de serviço e assertividade de seus fornecedores de transportes.

Na maioria das vezes é preciso ter rastreamento de frota, gerenciamento de risco, armazéns espaçosos, capacidade de atendimento e fluidez de carga, para atender a um lead time (tempo entre o pedido até a entrega do produto ao comprador) cada vez mais apertado, ocasionado pelos constantes atrasos nas programações de compra dos clientes.

A expectativa da indústria e do comércio é boa para esse ano apesar da atual situação mundial. A Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos (Abrinq) espera que as vendas em 2020 cresçam pelo menos 3% em relação ao ano passado, quando a alta foi de 6%. Com a flexibilização das regras de isolamento e a liberação gradual de várias atividades e serviços, todos ficam otimistas e sentem que o ritmo de consumo começa a ser retomado.

Outro dado que precisamos levar em consideração é que em 2020 com a pandemia ocorreu o recesso econômico, mas o varejo on-line vive um momento de glória. Houve ótimos registros de faturamento pelo setor em datas comemorativas como Dia das Mães e Dia dos Pais, entre outras. Agora a aposta para alavancar negócios no e-commerce é o Dia das Crianças, e a data promete ser mais uma grande oportunidade para os sellers brasileiros.

A pandemia está tendo um impacto mínimo na indústria global de brinquedos, conforme relatório “Global Toy Market – Analysis By Product Type, By Age, By Distribution Channel, By Region, By Country (2020 Edition): Market Insights and Outlook Post Covid-19 Pandemic (2020-2025)“, onde mostram que apesar das interrupções na cadeia de suprimentos e do fechamento de lojas de varejo, o comércio eletrônico vem facilitando o crescimento do mercado. Além disso, a pandemia resultou no fechamento de escolas e as crianças precisam ser entretidas dentro dos limites de casa, o que também contribuiu para impulsionar o mercado de brinquedos.

De acordo com o relatório da pesquisa, o Mercado Global de Brinquedos deverá apresentar um crescimento lento, mas sustentado. Este mercado foi avaliado em US$ 22,10 bilhões no ano de 2019, com a América do Norte liderando a participação de mercado regional. A maioria das vendas ocorreu por meio on-line, com vendas consideráveis em varejistas de massa restritas e lojas especializadas com alto grau de regulamentação e mão-de-obra limitada. O fechamento de grandes locais de entretenimento e parques temáticos, como Walt Disney, tem forçado os pais a mudar de instalações de entretenimento para brinquedos e jogos de tabuleiro.

Alguns sites vêm transformando produtos infantis e o próprio, em um local consultivo para pais e educadores durante a pandemia, trabalhando conteúdos em todos os níveis para além de vender produtos, agregar valor às suas marcas de forma imensurável. Quem trabalha nesse segmento de brinquedos e produtos infantis começou a notar que a experiência é cada vez mais presente.

A expectativa deste ano é que a data movimente não apenas as vendas de brinquedos, mas também segmentos como roupas, calçados, artigos esportivos kids, fragrâncias e até mesmo alimentos, afinal, as pessoas estão mais tempo em casa. Vale lembrar que no período entre 29 de setembro e 12 de outubro do ano passado, a palavra-chave “brinquedo” subiu de 49 para 100 no ranking de buscas do Google, e as palavras ligadas a data tiveram um crescimento considerável, como por exemplo “brinquedo dia das crianças”: 400%; “brinquedo legal”: 250%; “brinquedo educativo”: 100%; “moto de brinquedo”: 80%.

É preciso destacar que o comércio de compras pela internet exige planejamento, principalmente com antecedência quanto aos prazos de entrega. Isso porque é uma data em que a expectativa é enorme e um detalhe especialmente deve ser levado em conta: quem recebe não tem a compreensão que nós adultos podemos ter.

Não é novidade que as crianças amam ganhar presentes. Por isso, evite frustrar os pequenos com entregas extraviadas ou não realizadas. A indústria e os fornecedores devem dar atenção especial à expedição dos produtos e as empresas de logística parceiras, cuidando quem oferece rastreamento preciso. Uma estratégia para ganhar um pouco mais de tempo no preparo das mercadorias é embalar alguns itens com antecedência.

No Brasil, no tão sonhado mundo dos brinquedos, a realidade das operações logísticas é levada bastante a sério. A expectativa é que cada vez mais as transportadoras e operadoras se modernizem, no sentido de fornecer dados em tempo real, investindo no treinamento e especialização de seus funcionários.

Os procedimentos básicos desta logística começam com coleta da carga no fabricante, transporte para os centros de distribuição das transportadoras, triagem dos produtos de acordo com as rotas de entrega, principalmente em datas como Natal e Dia das Criança. Esse movimento pode aumentar em mais de 50%, fazendo com que, eventualmente, embarcadores e transportadoras tenham dificuldades de agendamento e entrega.

Dentro do Brasil, o frete é feito em sua maioria pelo modal rodoviário, mas o aéreo também é usado na importação de produtos da China e outros países, assim como o marítimo. Na exportação para países do Mercosul, as rodovias são as mais utilizadas.

Algumas empresas fabricantes ou distribuidoras de brinquedos estabeleceram uma política clara para reger o pagamento de fretes rodoviários, que não pode ultrapassar um percentual da carga. Já um fator que contribui para o barateamento dos custos da operação é o compartilhamento de transporte, algo ainda pouco feito no Brasil e que requer alguns cuidados por parte do embarcador e do transportador. Como por exemplo, nunca compartilhar a carga de brinquedos com carga química. No exterior, em países de primeiro mundo, as cadeias logísticas do setor de brinquedos já caminham muito à frente.

Após a entrega, chega a hora de vender ou brincar, dependendo de quem o adquiriu, seja ele o comerciante ou o comprador final. Mas para que isso aconteça, a logística de transporte e distribuição de brinquedos adota rígidos procedimentos que exigem comprometimento em toda a operação.

No comércio tradicional, nota-se que muitos clientes estão antecipando as compras em lojas para o Dia das Crianças, tendo em vista a situação que vivemos no mundo. Muitas lojas que vendem brinquedos já vinham realizando um trabalho de conscientização e alerta aos consumidores através de propagandas para anteciparem suas compras. Isso considerando os protocolos sanitários adotados na pandemia, onde é preciso evitar aglomerações, principalmente em espaços fechados. Os comerciantes têm medo de não conseguirem atender a todos e afirmam que querem vender, mas precisam respeitar os protocolos e normas nacionais e estaduais, além daquelas de cada município, conforme a situação pandêmica enfrentada.

Para atrair um público cada vez mais exigente e ligado em toda a tecnologia que tem a sua disposição, estratégias mais próximas ao consumidor já deixaram de ser novidade e se transformaram em essenciais. Essa geração sabe exatamente como comprar na internet, como escolher produtos e quais marcas se preocupam, dependendo da faixa etária, suas ideias e cotidiano.

Algumas empresas estrategicamente tentam se aproximar dos mais variados públicos e fazer com que as pessoas se identifiquem. Com isso elas têm sentido que estão conseguindo de certa forma tirar o celular e os tablets das mãos dos pequenos e trazer os brinquedos de volta.

Uma marca de bonecas lançou nos últimos tempos mais de 30 opções com as mais diversas características, desde carecas, com vitiligo ou ainda que utilizam cadeira de rodas. As estratégias não param por aí, outros brinquedos que remetem à infância ou adolescência dos pais são verdadeiras jogadas de mestre.

Já que falamos de um público que está cada vez mais exigente, as empresas não podem esquecer de estarem atualizadas com as tendências junto ao seu público alvo. Por exemplo, hoje em dia faz parte gravar um vídeo do unboxing do recebimento de sua compra, que nada mais é do que um termo em inglês que se refere ao ato de desembalar novos produtos e postar em suas plataformas sociais.

Sendo assim, não se pode esquecer de detalhes como embalagem, acondicionamento dos produtos dentro da mesma, para não frustrar esse ato que faz parte do cotidiano e da vida dessa geração. Os mínimos detalhes são levados em conta e “o produto pode ser o mesmo de sempre, mas a experiência pode ser novidade”, desta forma é preciso buscar sempre a fidelização da clientela e até a captação de novos.

Também há um movimento de conscientização pela indústria, mostrada por um recente ranking de empresas baseadas em políticas ambientais que acompanha a forma de ser um negócio de sucesso e rentável, onde o grupo CDP (Carbon Disclosure Project ou Projeto de Divulgação de Carbono), mostrou seus rankings anuais dos principais negócios verdes.

Os rankings do CDP marcam as milhares de empresas que divulgam a organização sobre sua ação ambiental. Dividida entre mudanças climáticas, segurança hídrica e florestas, a lista fornece um quadro holístico de como o mundo corporativo está lidando com questões ambientais.

Neste ranking uma fabricante mundial famosa de brinquedos lançou os primeiros elementos de suas coleções feitos de plástico, à base de plantas provenientes de cana-de-açúcar. Ela comprometeu-se a fabricar todos os produtos da marca a partir de materiais sustentáveis até 2030. Essas medidas estão levando em conta um recente relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas das Nações Unidas, onde mostra que a próxima década é crucial em nossas vidas e que precisamos mudar para uma economia sustentável, onde acredita-se que a indústria e empresas estão no centro dessa transição.

Pois bem, realmente foi um desafio mas acima de tudo um prazer escrever essa matéria que remete a infância quando fala-se de brinquedos. Ficou quase impossível não lembrar dos momentos e daqueles que são inesquecíveis para nós até hoje, independentemente da idade que temos.

Também foi possível tratar da logística que envolve esse setor, além da tendência desse ano com a pandemia e do principal, que é planejamento e antecedência. Sendo assim, VAMOS LÁ QUE TEMOS MENOS DE UMA SEMANA PARA O DIA DAS CRIANÇAS.

Por Marcelo Gololo Nascimento

Fontes: Log web; ecommercebrasil; prnewswire; grupofarraposblog; mhlnews; soulog e jornal do comércio.

Logo Footer

Assine a Revista Acontece Mais e tenha informações atualizadas sobre pessoas e instituições de destaque na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, conteúdos de qualidade, agregando conhecimentos em diversas áreas.