Direitos Coletivos: Qual a importância dos catadores de materiais recicláveis para o bem estar ambiental das cidades?

Direitos Coletivos: Qual a importância dos catadores de materiais recicláveis para o bem estar ambiental das cidades?

Os catadores de materiais recicláveis, embora sejam invisibilizados pela população, desempenham papel fundamental na manutenção da qualidade ambiental das cidades. […]

Por Acontece Mais 21/09/2020 - Atualizado em 21/09/2020

Os catadores de materiais recicláveis, embora sejam invisibilizados pela população, desempenham papel fundamental na manutenção da qualidade ambiental das cidades. Seu trabalho contribui para a destinação adequada dos materiais descartados em toneladas todos os dias em nossas casas. Precisamos reconhecer, com urgência, que sem esses trabalhadores o risco de colapso ambiental de nossas cidades é eminente.  

Embora muitos de nós não percebamos, sem os catadores de materiais recicláveis, as empresas privadas de coleta de lixo estariam sobrecarregadas e, possivelmente, não dariam conta da crescente demanda pela destinação correta do lixo. Aterros sanitários não teriam como receber todo o lixo gerado pelo consumismo dos anos 20. Lixões se tornariam ainda mais recorrentes nas periferias. O verdadeiro caos seria instalado. O leitor lembra da greve dos garis no Rio de Janeiro em abril de 2019?

Ainda que se trate de serviços diferentes, a analogia é pertinente porque são os catadores, através do seu árduo trabalho, responsáveis não só pela separação, classificação, processamento e comercialização dos materiais, mas também pela própria coleta. Seu trabalho é diário e incansável, buscando o seu descarte na porta da sua casa. 

Esse esforço, por vezes se dá por meio de associações de catadores que congregam e dividem o trabalho, mas também por catadores individuais que não possuem qualquer vínculo associativo. Em ambos os casos a realidade é a mesma: condições precárias de trabalho, falta de assistência do poder público e principalmente, falta de empatia da população atendida.

Algumas associações ainda realizam a educação ambiental porta-à-porta, levando informações em material impresso sobre a coleta seletiva e a separação do lixo. Em Uruguaiana/RS é o caso da Associação de Catadoras e Catadores Amigos da Natureza (ACLAN). A associação que conta com aproximadamente cinquenta catadores e é responsável pela coleta seletiva em quinze bairros da cidade desempenha a função de educadora da população. 

De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, Lei n.º 12.305/2010, o material reciclável é um bem econômico e de valor social, gerador de trabalho, renda e promotor de cidadania”. Por essa razão, devemos enxergar os catadores e as catadoras como trabalhadores dignos de respeito, devemos contribuir com o seu trabalho com um gesto simples: separar o lixo seco do lixo orgânico.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato comigo através do Instagram @rgay.adv ou do e-mail raul.carvalhog@gmail.com

Raul Carvalho Gay
Advogado, graduado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e atua na área de direitos coletivos e difusos.

Logo Footer

Assine a Revista Acontece Mais e tenha informações atualizadas sobre pessoas e instituições de destaque na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, conteúdos de qualidade, agregando conhecimentos em diversas áreas.